Cálculos Renais (Litíase Urinária)

O QUE É?
A litíase urinária, popularmente conhecida como “pedra nos rins”, ocorre por um processo de agrupamento de microcristais (cálcio, ácido úrico, entre outros sais) podendo ocorrer não só nos rins, mas também na bexiga. Esse processo geralmente acontece quando a urina está excessivamente concentrada (supersaturação).
Sabemos que aproximadamente 3% da população mundial apresenta litíase urinária. O fator genético é bastante determinante, observando-se a ocorrência em 40-60% dos familiares em primeiro grau (pais, irmãos) de um paciente com o problema.

Esse processo de supersaturação também pode ocorrer em decorrência de:
• Dietas ricas em sal, gordura e colesterol;
• Infecções urinárias e/ou obstrução das vias urinárias;
• Alterações anatômicas, volume insuficiente de urina, distúrbios metabólicos;
• Determinados medicamentos (como laxantes) e suplementos alimentares, como de cálcio e vitamina D;
• Doenças como hipertiroidismo, hiperparatiroidismo, doença de Crohn, diferentes tipos de diarréia, ressecções intestinais (como na cirurgia para tratamento de obesidade), síndrome de má absorção, entre outras doenças.

Os cálculos presentes nos rins geralmente não causam dores, a não ser que seu tamanho tenha mais que 1 cm. No entanto, mesmo pequenos cálculos de 2mm ao se desprenderem dos rins e entrarem num canal chamado ureter (conecta o rim à bexiga levando a urina) causam as famosas e temerosas cólicas renais.
A crise de cólica renal, classicamente é descrita como uma dor de início súbito, muito intensa localizada na região lombar do lado em que a pedra está deslocando-se. Essa dor pode irradiar para a região abdominal, correndo até o testículo do mesmo lado (ou lábios vaginais na mulher). Náuseas e crises de vômito podem com frequência ocorrer em reflexo às fortes dores. Em alguns casos o paciente nota alteração na coloração da urina, relacionada com a presença de sangue em maior ou menor quantidade.

Quando a crise é muito intensa geralmente o paciente acaba procurando algum pronto-atendimento para receber medicamentos que aliviem as dores. Mesmo com o alívio dos sintomas, o paciente deverá procurar um urologista para uma adequada avaliação do quadro para que receba um correto tratamento, que pode ser desde medicamentos que facilitam a saída da pedra, até procedimentos cirúrgicos com uso de laser para fragmentar e retirar o cálculo.